CTA

Conceito de Sonorização Ambiente

conceito sonorizacao

Sonorização Ambiente em empresas é um assunto técnico, extenso e que estamos tentando resumir e esclarecer de forma técnica e objetiva.

A maioria das empresas do mercado se utiliza de equipamentos como mesa de som, receivers, caixas ativas e passivas, amplificadores com vários controles frontais, equalizadores de estudios, entre vários outros itens, uma vez que a grande maioria das empresas utilizam equipamentos que foram fabricados para outros objetivos e não para Sonorização Ambiente para empresas. Mesa de som é para show ao vivo (P.A.), receivers para uso doméstico, caixas ativas para espetáculos e shows e assim por diante.

Uma ótima Sonorização Ambiente é definida no conceito e projeto criado especificamente para cada empreendimento, entendendo exatamente o que o cliente precisa (controles dos equipamentos e de volume, posicionamento de amplificadores, recursos do Sistema para se conectar a vídeo, projetores, microfones, setorizadores, etc) aliados aos corretos circuitos, com os corretos amplificadores, equalizadores, com sonofletores de larga faixa de frequência e ainda, com a correta instalação de todos estes equipamentos, é que vão proporcionar ao nosso cliente o resultado final de alta qualidade e conforme sua necessidade de uso.

Portanto, desde o desenvolvimento do conceito do Sistema de Sonorização até a total implantação deste Sistema, visamos fornecer alta qualidade de Sonorização com audibilidade, inteligibilidade e controle das músicas e mensagens transmitidas. Isto significa que os presentes vão perceber e entender o que está sendo transmitido, não deixando dúvidas sobre números, palavras, ou frases transmitidas e ainda, mantendo o ambiente agradável e positivo, não sendo necessário ”gritar” um com o outro para se comunicar, uma vez que o sistema implantado erroneamente gera este desconforto aos clientes e funcionários.

Somos focados em implantar sistemas profissionais de Sonorização (e Vídeo) Ambiente, que vão proporcionar aos clientes, visitantes e funcionários um ótimo padrão de qualidade sonora, gerando ambiente agradável, confortável e com qualidade de “cobertura” e “pressão” sonoras percebidas pelo cliente.

É muito importante considerar alguns aspectos básicos quando na definição de um Sistema de Sonorização, tais como “Cobertura e Pressão Sonora”; “Ganho”; Equalização.

O conjunto da “cobertura” e da “pressão” sonora, vão gerar um ambiente agradável, pois ele vai atuar em paralelo as conversas entre os funcionários, visitantes e clientes, evitando que tenham qualquer desgaste para conversar entre si. Estes efeitos são consequência da quantidade e disposição correta dos alto-falantes, potencias suficientes de todos os equipamentos, frequências ajustadas entre amplificador, equalizador e alto-falantes, tendo ainda a correta instalação do sistema, muito importante para garantir o resultado final.

A “cobertura” sonora significa ter a quantidade adequada de alto-falantes, localizados, posicionados e distribuídos de forma a manter os ouvintes em contato constante e homogêneo com as músicas (e mensagens) transmitidas no local, garantindo que o ambiente seja agradável e compatível com o público presente, deixando-os interagem positivamente com a qualidade sonora, sem necessariamente com volume alto.

Para o cálculo correto temos que utilizar os dados numéricos do local, e ainda, perceber e entender o tipo de forro, a acústica, a possível reflexão do sinal no local, entre vários outros fatores. Este diagrama de referencia abaixo define o que deve ser numericamente calibrado para que se faça o cálculo correto e não simplesmente “achar” que determinada quantidade está correta, pois este “chute” normalmente é para atender a verba disponível e não para garantir qualidade.

Este diagrama de referência abaixo, considera um alto-falante de embutir em forro com 6” de diâmetro e com 64º de dispersão, em um pé direito de 5 metros, com pessoas sentadas (1,60 m do piso). Note que com este digrama o alto-falante deve estar em distancia aproximada de 4,49 m do outro alto-falante, o que vai gerar a cobertura sonora correta em uma área de útil de 15,80 m2 e área total máxima (onde é o limite de se ouvir bem) de 20,16 m2 . Após este cálculo, devemos observar a acústica do local, as barreiras sonoras, áreas de maior interação com o cliente, a compatibilidade com os outros elementos do forro, etc, sempre respeitando ao máximo possível, as equidistâncias e posicionamento dos alto-falantes (sonofletores) definidos em projeto.

Note que a melhor qualidade sonora está na parte mais azul (desenho acima) e à medida que se distancia do centro (azul mais claro), a percepção sonora vai diminuindo até praticamente sumir. Esta é a sensação que com certeza você já sentiu ao andar em um shopping (por exemplo) e ter momentos em que se percebe a presença de alguma musica ou mensagem, mas na maioria das vezes não entende e sabe qual é a musica (e mensagem) que está sendo tocada, causando mais problemas de ruídos do que transmissão agradável de musicas.

A resultante desta situação é que a maioria esmagadora dos shoppings, os administradores preferem desligar a sonorização para “resolver o problema”, ou mesmo, deixar o volume “bem baixinho” para não atrapalhar os clientes, decisão esta totalmente errada, pois a musica e mensagens de qualidade são muito importantes em qualquer ambiente público ou mesmo privado.

É importante destacar que a distancia e posicionamento entre os alto-falantes é muito importante para ter-se alta qualidade sonora e se isto for feito, basta ter a certeza de que os corretos equipamentos e instalação também sejam fornecidos, para que o Sistema de Sonorização tenha qualidade e conforme as mais altas expectativas de qualidade.

Se feito corretamente implantação do Sistema de Sonorização, o investimento realizado trouxe os resultados esperados e no longo prazo, uma vez que um sistema bem feito, fica ativo e com qualidade por 7 ~ 10 anos e com isto, você + seus clientes + seus funcionários + todos os presentes irão usufruir do Sistema instalado, uma vez que a música e mensagens (e vídeo) são fundamentais para o marketing sensorial e branding.

conceito ambiente

Tendo a cobertura corretamente calculada, temos que definir os equipamentos corretos que vão gerar a “pressão” sonora necessária, que é a resultante do cálculo e implantação dos equipamentos dimensionados para atender corretamente as necessidades de acústica, potencia (WRMS) e frequência (hz) dos circuitos de sonofletores.

A diferenciada qualidade na percepção das músicas (e mensagens) é em função da “pressão” sonora percebida no sistema de som, que é a necessária e suficiente para “preencher” o ambiente, garantindo a audibilidade e a “presença” da música, sem necessariamente volume alto. Todos os presentes vão perceber e entender os vários instrumentos; os sinais subgraves; graves; médios e agudos, o que gera uma experiência diferenciada para todos os que estiverem no local, fazendo com que a reação e humor das pessoas sejam melhorados.

Destacamos também que a ótima qualidade sonora para ambientes de empresas não está condicionada aos “efeitos sonoros” que são largamente usados em sistema domésticos, tais como fones de ouvido individuais, sistemas 3 em 1 de música, shows ao vivo, salas de cinema, etc, pois a música transmitida com sinal estéreo, áudio 3D, surround, 5.1 e 7.1 para home theather, entre outros, explora o mesmo sinal de áudio, mas com efeitos que são gerados por vários canais de áudio.

Explicando, o sinal de áudio mono é transmitido por apenas 1 canal, mas com as mesmas frequências e nível de áudio do que o sinal estéreo (por exemplo),o que muda não é a qualidade do sinal, mas sim a forma que ele é transmitido até o ouvinte. Enquanto o sinal mono é transmitido em 1 canal, o sinal estéreo é transmitido em 2 canais, produzindo um efeito diferente ao ouvido humano, uma vez que cada canal transmite um instrumento (por exemplo, o canal direito transmite a guitarra e o esquerdo a bateria) e esta separação de sinal gera uma sensação melhor ao ouvinte.

Em ambientes comerciais, este efeito não é utilizado, uma vez que esta separação dos canais em ambientes maiores, pode causar desconforto ao ouvinte. Quem estiver mais do lado direito do ambiente tende a ouvir muito mais a guitarra do que a bateria, perdendo a qualidade total da música e instrumentos. Por isto mesmo, 99% das instalações comerciais são transmitidas em 1 canal (mono) mas com fidelidade de frequência.

Existem basicamente dois tipos de sistemas de sonorização, que são o linha ôhmica e linha 70,6 V (pode ser 210 V também).

Na linha ôhmica o resultado musical é muito melhor, pois as frequências e níveis de áudio são reproduzidos com fidelidade total ao ouvinte, da mesma forma que em um equipamento de uso doméstico. Na linha ôhmica o equilíbrio do sinal de áudio em todo o circuito de alto-falantes, é dado pela potência do amplificador, equalização e principalmente, pelo casamento de impedância entre o circuito de alto-falantes e a saída do amplificador, o que vai gerar a alta qualidade sonora no local, mesmo transmitido em 1 canal mono.

Já os sistemas de linha 70,6V, tem boa qualidade, mas por serem montados com transformadores, (tronco e de linha) perdem fidelidade da música, pois estes transformadores (utilizados para balancear o circuito) filtram o sinal de áudio e cortam faixas de frequências, que não serão reproduzidas no ambiente, gerando uma sonorização “mais pobre” do que a linha ôhmica.

Desta forma, a Fine Sound fabrica, fornece e instala sistemas de sonorização somente com sinal mono, mas com alta qualidade sonora que é alcançada principalmente com os equipamentos em linha ôhmica, mas também, para atender ao mercado, com boa qualidade em linha 70,6 V.

Também não podemos deixar de destacar, que a qualidade sonora do sinal é dada pela gravação e pela origem do sinal de áudio e portanto, recomendamos que o conteúdo musical seja gravado e atualizado por empresas profissionais, pois se a gravação não for masterizada e nivelada (em frequência Hz e potência dB), haverá variações de volume (mais alto e mais baixo) e de frequências (mais agudo ou mais grave) entre as músicas o que poderá gerar algum desconforto sonoro aos clientes, visitantes e funcionários.

Não basta ter o cálculo correto de sonofletores e de equipamentos, se não houver o correto “ganho”, ou seja, o correto posicionamento em relação ao ambiente, mas principalmente como este ponto está direcionado em relação ao ambiente.

Estes pequenos diagramas mostram apenas uma pequena parte do que deve ser considerado e apresentamos aqui estas informações apenas para conhecimento geral da complexidade de um Sistema de Sonorização corretamente planejado e instalado.

Note o posicionamento e “ganho” das caixas do exemplo abaixo (visto de cima), a área verde é a de melhor cobertura e pressão sonora (10/10, ou seja, 10 palavras emitidas, 10 palavras entendidas em qualquer local), a área azul é baixíssima qualidade sonora (não se percebe qualquer sinal de música ou mensagem, 10/1) e na área marrom, tem-se média qualidade, 10/5). Note que as duas caixas mais distantes da área azul, tem o “ganho”(posicionamento) diferente das duas primeiras e menos potência e volume (área vermelha).

Nesta mesma figura cima, porém agora vendo em corte, nota-se a área vermelha, onde se tem a maior transmissão sonora (potência e volume), veja o posicionamento a caixa inclinado medianamente para baixo, preenchendo o local (área verde) de forma homogênea e inteira, permitindo que todos que estejam nesta área verde tenha 10/10 de resultado. Quem está na área azul, já não percebe tanto o que está sendo transmitido, que é o correto, pois pode gerar microfonia. Como informação, é por isto que em shows ao vivo, o artista utiliza caixas de retorno no piso.

Note inda que as caixas acústicas (2) mais próximas do palco, emitem mais potência e volume do que as duas do fundo e isto reflete em uma pequena perda de qualidade ao fundo (marrom) do salão. Neste caso se o volume nestas duas caixas fosse aumentado um pouco, esta pequena perda seria compensada, deixando o ambiente em perfeitas condições. Note que no “corte” talvez não se perceba na cor verde a presença do “marrom” devido a coloração de tela.

sonoriz_amb

Note agora neste segundo desenho abaixo, o “ganho” não está correto, pois as duas caixas mais próximas do palco estão paralelas a parede (longitudinal) ao piso, ou seja, estão “retas” e sem considerar a inclinação necessária do correto “ganho”. Com isto, se olhar “de cima” a área azul (baixa qualidade sonora) é muito maior em todo o salão, haja visto que a área verde (ideal de sonorização com 10/10) está bem acima do piso e concentrada perto da parede, deixando a área azul predominar no meio do salão, local que deveria ter ótima sonorização. As duas caixas mais distantes do palco estão em paralelo ao chão, mas direcionadas para o centro e com isto, nota-se claramente o preenchimento sonoro correto (área verde), porém, como as caixas estão em paralelo ao piso, a área predominante é no teto (veja no corte) o que obviamente não é o desejado, pois quem estiver sentado por exemplo, não terá percepção sonora e apenas ouvirá que a “reverberação” do som e não perceberá a qualidade sonora que poderia haver no local, se o “ganho” tivesse sido respeitado na instalação.

Também neste caso, poremos afirmar que se aumentasse o volume nas duas caixas do fundo, a parte azul seria também melhor coberta, melhorando a qualidade final do Sistema.

sonoriz_amb-2

Como último exemplo, o artifício errado de diminuir a quantidade de caixas acústicas, para diminuir preço, é um erro grande, pois no exemplo abaixo, desligamos as duas caixas mais próximas do palco, e nota-se que a área azul na frente do palco é grande e não é melhorada aumentando o volume apenas das duas caixas ao fundo. A cobertura sonora não foi considerada corretamente e aumentar volume somente vai gerar ruído e reverberação.

Se verificar no “corte” ainda vai perceber uma certa presença de área azul mais próxima do piso, pois não foi também considerado o correto “ganho” nestas duas caixas.

sonoriz_amb-3

Em resumo, com o Sistema de Sonorização profissionalmente projetado e instalado, atingiremos cada cliente e visitante em seu momento de interação com a sua empresa, gerando relacionamento e experiências positivas com sua marca + interação com o seus produtos e serviços + aumento da fidelidade, produtividade e relacionamento (Branding) com a sua empresa, o que reflete no significativo aumento da probabilidade de gerar negócios, de propiciar conforto e satisfação de todos os presentes.

Recomendamos que este Sistema não seja simplesmente “comprado”, mas sim estudado para que o valor investido seja correto e produtivo, pois como no segundo exemplo acima, a cobertura e pressão sonoras estavam corretas, mas o ganho não, o que gerou perda de qualidade total do Sistema. Desta forma, concluímos que o dinheiro investido seria exatamente o mesmo, mas com a instalação errada, todo o investimento foi perdido.

Claro que além dos pontos básicos aqui informados, existe também toda a técnica e padronização de fabricação dos diversos equipamentos, das instalações, dos cabeamentos, de soldas e conectores, de lançamento de cabos, etc que todos somados geram o padrão de qualidade que a Fine Sound desenvolve em todo o Brasil.

Estamos nas principais redes sociais. Siga-nos!

botão-facebook           botão-instagram           botão-twitter              botão-youtube         botão-google+

Log in or Sign Up